• Inicio
  • Instituição
  • Missão, Valores e Visão

Missão, Valores e Visão

Missão

Misericórdia ou Santa Casa, é no mais genuíno sentido das palavras, a casa ou o espaço comum onde todos e cada um podem dar e receber, consoante as suas possibilidades ou necessidades

Padre Vítor Melícias

As Misericórdias inspiram-se nos trabalhos de humanistas como Isabel de Aragão, Leonor de Lencastre, Miguel de Contreras, Braz Cubas, José de Ancchieta, António Vieira, Cláudio Luiz da Costa e Martins Fontes. As nossas práticas relevam a utilização da extrema tecnicidade, valorizando o humanismo. A nossa Missão é promover as 14 obras de Misericórdia adaptando-as à atualidade e à realidade da Sociedade Portuguesa em geral e do Concelho da Moita em particular, através do exercício da Acão Social, Saúde e Educação.

Defendemos ao mesmo tempo o nosso legado histórico e a abertura à sociedade (através do princípio de autonomia Cooperante das Misericórdias entre si e em relação ao estado e demais Instituições da Sociedade Civil) obrigando-nos ao exercício da modernização. Procuramos assim, adaptar os recursos disponíveis ao mesmo tempo que lutamos por encontrar soluções para os problemas que se nos deparam.

Valores

A ação desenvolvida por esta Instituição, perde-se no fundo dos tempos. A dinâmica subjacente ao espírito para que foi criada em 1500, sofreu até hoje inúmeras alterações, provocadas na sua maioria por mudanças nos contextos sociais e culturais.

A luta pelo desenvolvimento que caracteriza a sociedade em que nos inserimos hoje é um facto, no entanto os desníveis sociais são de tal forma agudos que tal como em 1500, podemos observar fenómenos que ainda reduzem os humanos a estados de grande sofrimento.

No entanto há uma marca que uma vez deixada, permanece. Falamos da necessidade de procurar o sentido do exercício da Misericórdia.

Esta realidade tem sido o motor da necessidade de continuar as 14 obras da Misericórdia, que passamos a discriminar:

Obras Corporais:

  • Dar de comer a quem tem fome
  • Dar de beber a quem tem sede
  • Vestir os nus
  • Dar pousada aos peregrinos
  • Assistir aos enfermos
  • Visitar os presos
  • Enterrar os mortos

Obras Espirituais:

  • Dar bom conselho
  • Ensinar os ignorantes
  • Corrigir os que erram
  • Consolar os tristes
  • Perdoar as injúrias
  • Sofrer com paciência as fraquezas do nosso próximo
  • Rogar a Deus por vivos e defuntos

Apesar das vicissitudes, as Obras da Misericórdia continuaram, com altos e baixos durante cinco séculos: “no seu conjunto as Santas Casas de Portugal são responsáveis pelo bem-estar corporal e espiritual de muitos milhares de crianças, jovens e idosos que se acolhem nos seus Estabelecimentos...”, no entanto, a ação realizada por cada uma das Instituições é ditada por um conjunto de normas e estratégias que se bem que vão beber às antigas orientações têm total autonomia para se afirmarem.

No nosso caso, a reflexão sobre o significado da prática das 14 obras e do seu ajustamento aos tempos de hoje, impeliu-nos para um conjunto de dinâmicas, que não obstante as dificuldades, nos conduziu a uma obra que constitui para todos nós motivo de grande orgulho e nos vincula ao mesmo tempo que obriga, a fazê-la crescer, através das suas respostas sociais e das pessoas que constituem as suas equipas de trabalho, orientando a sua ação por valores como:

  •  Responsabilidade Social;
  •  Humanismo e valorização do ser humano;
  •  Preservação ambiental;
  •  Cidadania;
  •  Criatividade;
  •  Solidariedade;
  •  Cooperação e Pioneirismo na prestação de serviços.

Visão

O Cumprimento da Missão da Santa Casa da Misericórdia de Alhos Vedros, vincula os seus responsáveis a assegurar e cumprir:

O respeito pela herança histórica e pela específica identidade e Missão da Santa Casa da Misericórdia de Alhos Vedros;

Determinação para enfrentar os desafios do futuro pela defesa da atualidade da Obra das Misericórdias, pelo reconhecimento da capacidade e potencial da nossa Misericórdia e pela oportunidade da sua Missão;

O Princípio da Autonomia Cooperante quer das Misericórdias entre si, quer em relação ao Estado, quer às demais instituições da Sociedade Civil.

O Princípio da Cooperação com a Sociedade e as suas Instituições, em geral, com o Estado, em particular, com as outras Misericórdias e designadamente com as outras Uniões e organizações do Sector Social.

Modernização e adequada profissionalização dos Estabelecimentos e serviços da SCMAV, cuja intervenção se situa nos âmbitos da Acão Social, Educação e Saúde, de forma a assegurar uma rede de apoios de qualidade, que mereçam a confiança dos cidadãos, e contribuam para o desenvolvimento da comunidade.